www.agrorganica.com.br

PERGUNTAS SOBRE AGRICULTURA ORGÂNICA

Dúvidas? Pergunte ao Prof. Silvio Penteado


Visite nossa livraria e aprenda tudo sobre agricultura orgânica

P. Cultivo Hidropônico é orgânico?

R. Não porque utiliza adubos solúveis. Poderá ser orgânico se conseguimos manter as culturas com solução de biofertilizantes.

P. Posso utilizar calcário conforme a determinação da análise do solo?

R. Não. No máximo 2 ton/ha/ano. Devo enriquecer o solo com matéria orgânica que vai elevar a CTC e fornecer cálcio e magnésio e liberar esses nutrientes para a planta.

P. Posso utilizar sulfato de potássio á vontade?

R. Não. Sendo um adubo solúvel, somente com permissão da certificadora.

P. Posso utilizar adubo orgânico á vontade?

R. Depende do tipo de matéria orgânica. Se for com baixa relação C/N como o húmus ou biofertilizante o excesso pode causar os mesmos efeitos dos adubos solúveis.

P. Quem é certificado: o produtor ou a propriedade?

R. Quem é certificado é a propriedade, pois o produtor pode ter várias e uma ser certificada e outra não.

P.Posso contestar o laudo do inspetor da certificadora e do Conselho de Certificação?

R. Sim. No entanto, o produtor acompanha e assina o laudo de certificação. Posso contestar o Conselho, caso não concorde nos prazos estipulados de conversão orgânica. Posso apresentar minhas razões à certificadora.

P.Uma pessoa pode denunciar um produtor orgânico como fraudulento á certificadora?

R. Pode. A certificadora irá fazer uma visita surpresa para confirmar a denúncia, que deva ser feita em escrito pelo seu autor.

P.Sou obrigado a fazer a certificação?

R. Não. Pequenos produtores (agricultores familiares), ligados a uma associação de produtores orgânicos, que faça a venda dos produtos sob sua supervisão, estão dispensados da certificação.

P.Porque devo utilizar adubos orgânicos e não os químicos?
R.
Os adubos químicos provocam o desequilíbrio químico e bio-químico do solo e das planta, afetando a sobrevivência dos microorganismos benéficos (saprófitas), que decompoêm a matéria orgânica. Na planta afetam o processo proteosíntese, liberando alimentos para insetos pragas e patógenos. Dar preferência a adubação orgânica e aos fertilizantes minerais parcialmente solúveis, pois a lenta liberação dos nutrientes proporciona menores perdas pela erosão e chuvas, além de não favorecer a presença dos radicais livres.

P.Quais são os micronutrientes essenciais para o equilíbrio da planta?
R.
Recomendamos manter a planta suprida com os micronutrientes essenciais: zinco, boro, manganês,etc. que estão envolvidos nos processos de defesa da planta. Eles podem ser aplicados isoladamente (corrigidos com cal hidratada) na forma de sal (sulfatos) ou junto com a Calda Bordalesa ou então misturados com biofertilizantes.
 
P. Quais os procedimentos para o tratamento de inverno e limpeza em fruteiras tropicais, como citros e manga?
R.
Promover uma boa aeração e iluminação da planta, retirar folhagens e brotações em excesso, assim como ramos rentes ao solo. Na parte inferior das plantas junto ao solo,  fazer a poda dos ramos que surgirem abaixo abaixo da altura da formação das copas. No tratamento de inverno, com retirada de ramos secos e doentes. Nas plantas citricas com sintomas de leprose recomenda-se cortar e eliminar os ramos e frutos atacados Para  erradicação de pragas e moléstias, assim como rubelose, gomose, musgos e linquens aplicar sulfocálcica e bordalesa.

P.Qual deve ser a inspeção num pomar  orgânico de citros para evitar pragas e doenças?
R.
A inspeção deve ser constante, o mesmo recomendado para o cultivo convencional. A diferença é que com o manejo orgânico a presença de insetos ou patógenos capazes de causar dano econômico é sensivelmente reduzido com o manejo orgânico. Fazer o levantamento de pragas (leprose e ferrugem ) a cada 7 a 15 dias, incluindo a inspeção de CVC e Cancro Cítrico. Nas áreas vizinhas a pomares abandonados manter vigilância sobre o pomar. Neste caso, instalar cerca viva para evitar a disseminação de pragas e doenças.

P.Quais são as consequências para a planta que passa um período de estiagem?

R. Deve-se evitar perídos de estiagens. mantendo a planta sem “stress” hídrico. Na seca há liberação de aminoácidos e radicais livres, com vulnerabilidade às doenças e pragas. Nos períodos de estiagem manter o solo irrigado ou  com cobertura vegetal. Irrigar o pomar no inverno, período seco, para evitar a queda excessiva das folhas.

P.No caso de citros é desfavorável a queda de folhas?
R.
A desfolha da planta agrava o nível das doenças, aumentando a fonte de inóculo do fungo causador da Pinta Preta (ascósporos), que se   desenvolve nas folhas caídas ao solo. O produtor deve evitar o excesso de nutrientes, principalmente nitrogênio, mantendo a planta tratada com as caldas defensivas (bordalesa + óleo) e sulfocálcica.

P. Qual é o tipo de enxofre empregado na fabricação da calda sulfocálcica?
R.
O enxofre utilizado na calda Sulfocálcica é o enxofre ventilado. A matéria prima é o enxofre bruto (em pedra) ou flor de enxofre, quando bem moído. Não empregamos o enxofre molhável ( Kumulus) que é caro. Como fornecedores tem as empresas Carbotex, Produquímica, Petrobrás e outras. Na nossa publicação Defensivos Alternativos, damos explicações sobre o processo de fabricação da sulfocálcica.

P. Qual o procedimento para obter um certificado orgânico, há necessidade de análise de solo?
R.
Quanto a certificação, no caso de hortaliças ou cultivos anuais, há um período mínimo de 6 meses após a cultura de transição (onde não foi utilizado agrotóxicos ou fertilizantes) e de 12 meses para fruticultura ou pastagens, para receber o certificado orgânico. Desta forma, esta safra atual não poderá ser certificada e sim a próxima. Quanto a análise de solo, depende da exigência da certificadora.

P. Gostaria de saber de procedimentos para controle de lesmas?
R.
Pode ser feitas várias medidas, como a barreira ou aplicação de cal virgem ou cinzas de madeira nos locais de ataque ou nas bordas do canteiro. Armadilhas com pedaços de melão, melancia, chuchu ou então um saco de estopa com leite ou cerveja, devem colocados á noite e coletados de manhã.. Outra opção é utilizar a infusão de losna.

P. Como pode ser feito o controle da crespeira em pessegueiro, de forma ecológica?
R.
Para o controle da Crespeira em pêssegos você poderia utilizar o Sulfato de Zinco 400 gramas + Cal Virgem 300 gramas em 100 litros de água, fazendo no mínimo duas aplicações. Indicamos o livro "Defensivos Alternativos e Naturais" - de nossa autoria que contém outras informações sobre esta e outras culturas.

P. Gostaria de saber uma receita caseira para combater pulgões de plantas ornamentais?
R.
Sugerimos o emprego de repelentes naturais como extratos de alho ou de pimenta malagueta. Podem ser misturados com calda sulfocálcica a 1 a 1,5%. Deve-se macerar estes produtos, deixando-os de molho em alcool por 48 horas, diluindo em 10 partes de água e aplicando nos locais de ataque. Poderá ser aplicado enxofre em pó+ cal ou mesmo calda diluida. Temos uma excelente publicação: Defensivos Alternativos e Naturais- adquira

P. Gostaria de saber qual a importância e vantagens do emprego do nabo forrageiro como adubo verde?
R. O nabo forrageiro é um adubo verde de inverno, podendo ser plantado de março a junho. Ele possui um sistema radicular profundo, sendo porisso favorável para a descompactação do solo.

É muito empregado também para o plantio intercalar de pomares frutíferos. É benéfico para o solo, favorecendo sua nutrição e estrutura. Ele traz à superfície minerais que podem ser utilizados por culturas subsequentes. É um grande fornecedor de matéria orgânica ao solo, produzindo cerca de 25 a 50 t/ha de massa verde, evitando erosão por proporcionar ótima cobertura do terreno.

P. Qual seria o procedimento para produzir e comercializar um produto como orgânico?
R. Para a comercialização de um produto orgânico, é necessário que ele tenha a comprovação que foi produzido de forma orgânica, porisso precisa a propriedade precisa passar antes pela inspeção e aprovação de uma entidade certificadora. O primeiro passo é tornar-se sócio de uma associação credenciada junto ao Ministério da Agricultura (AAO, IBD, etc). Em seguida é feita uma inspeção á propriedade para seu enquadramento. Através da análise do relatório, poderá ser feita ou não a aprovação. Caso contrário, é recomendado um período de transição, que pode ir de seis a vinte meses. Veja nossa publicação: Introdução á Agricultura Orgânica

P. Para produzir o biofertilizante é preciso contruir um biodigestor e qual a ação sobre as plantas?
R. É possível produzir o biofertilizante de forma simples, á partir de uma bombona plástica, de 50 ou 200 litros. A fermentação aeróbia é desejável, devendo tampar a bombona, adaptando na tampa uma mangueira plástica, cuja extremidade esteja submersa em um balde com água, para escape dos gases e evitar entrar ar no tambor. O biofertilizante tem ações múltiplas, como repelente de pragas e doenças, estimulante vegetal, adubo foliar e inoculante, favorendo a resistência e desenvolvimento das plantas.

P.Qual a dosagem de aplicação do biofertilizante Supermagro?
R.
A indicação na pulverização foliar é aplicar o Supermagro na concentração de 1 a 5%. Recomenda-se a diluição de 2% para frutíferas e hortaliças e de 4% para tomate. No pomar, pulverizar a intervalos de 10-15 dias e para tomate e outras hortaliças deste fruto, a cada 7 dias. Para as demais hortaliças, pulverizar a intervalos de 10-20 dias.

P.Como pode ser feito o controle de pragas dos citros e qual a dosagem?
R.
O produto recomendado é a Calda Sulfocálcica na concentração de 3 a 4,0 litros para 100 litros de água, para combate ao ácaro da leprose. As aplicações serão feitas de 90 a 140 dias, de acordo com a inspeção quinzenal. Para as demais pragas, como ácaro da ferrugem, cochonilhas, bicho furão, etc. a dosagem é 2 litros para 100 litros de água.

P. Gostaria de saber se posso empregar a água de corrego na agricultura orgânica?

R. Qualquer água poderá ser utilizada, desde que livre de contaminantes químicos e biológicos. Hoje as certificadores exigem um laudo de comprovação de sanidade da água a ser empregada. Recomenda-se que a água tenha origem no próprio imóvel. Se há vida aquática nesta água, pode ser um sinal que seja livre de contaminantes.

P.Posso empregar os defensivos alternativos junto com os convencionais?
R. Com as caldas bordalesa e sulfocálcica não é recomendável, pois possuem pH elevado (acima de 8,0) e certamente os produtos convencionais perderão as suas características e atuação. Verifique no rótulo dos produtos qual a possibilidade de mistura. No entanto, os biofertilizantes orgânicos e extratos de plantas poderão ser misturados, dependendo dos testes locais.

P. É possível adubar somente com compostos de volumosos?
R. Depende da exigência nutricional da cultura a simples aplicação de compostos de estercos e capins poderá satisfazer as necessidade nutritivas das hortaliças, como caso de folhosas. No entanto, hortaliças de frutos, como pimentão e tomate, deve receber adubação orgânica mais rica em nutrientes, como Bokashi, que é produzido com farinha de peixe, farelo de arroz, torta de mamona, etc. Consulte o livro "Introdução à Agricultura Orgânica" .

P. Quero fazer iniciar o cultivo orgânico, posso adquirir sementes e mudas convencionais?
R. No caso de hortaliças posso adquirir as sementes, porém as mudas devem ser orgânicas. No caso de fruticultura, não havendo mudas orgânicas, permite-se obter mudas convencionais.

Envie a sua dúvida para cursofp@uol.com.br